Contribuição financeira do programa LIFE da União Europeia
Facebook
EN

Recuperação da Ribeira do Zebro

08 DE MAR -

O projeto Biodiscoveries centra-se no controlo de espécies invasoras, em especial chorão e acácias.
Até há pouco tempo, com resultados ainda pouco relevantes - as acácias podem demorar muitos meses até estarem totalmente mortas - o projeto não se tinha debruçado sobre a recuperação da vegetação que se verificaria depois da morte progressiva do acacial denso que ladeia a vala  que cruza a Mata da Machada de lés a lés.
No entanto, desde o verão passado, já com resultados mais expressivos, olhámos já com outros olhos para as oportunidades abertas pelo projeto.

A renaturalização da ribeira do Zebro está prevista no Plano de Gestão Florestal da Mata. Neste plano prevê-se a remoção de acácias por corte e remoção dos cepos, um método fortemente desaconselhado, seguido da renaturalização das margens e posterior instalação de espécies autóctones características de zonas ribeirinhas. Infelizmente esta ideia não foi executada e a ribeira continua a ser o que foi nas últimas dezenas de anos: uma vala pouco interessante para a conservação e o recreio.

Ao intervir no acacial junto à vala, o projeto cria condições para a futura recuperação da ribeira, como previsto.

Reconhecendo esta oportunidade, optou-se por apoiar pequenas intervenções que, aos poucos, possam servir o objetivo de renaturalização da ribeira. Foi exemplo disso a Oficina de Engenharia Natural que decorreu a 18 de fevereiro, e que para ajudou os nossos voluntários e técnicos a pensar e executar intervenções pontuais nos seus talhões, de maneira a favorecer a recuperação da ribeira.

Nos dois a três anos que ainda restam ao projeto, espera-se criar uma dinâmica de intervenção e um interesse que permita que, um dia, a Mata da Machada seja enriquecida com uma verdadeira ribeira, com leitos de cheia, com salgueiros, com carvalhos e todos os outros elementos que a enriquecem biologicamente.

Ao mesmo tempo que se introduz uma nova possibilidade de uso da mata pelos seus visitantes, transformando uma vala triste num ribeira viva.
Não vai ser amanhã, não vai ser fácil, mas consigo é mais fácil.

voltar