Contribuição financeira do programa LIFE da União Europeia
Facebook
EN

Mata ao Luar

20 DE AGO - Mata da Machada

Foi a 20 de agosto que se realizou mais um passeio na Mata ao Luar, uma ação inserida na Agenda de Atividades “Reserva o Verão em Família”, do Centro de Educação Ambiental da Matada Machada e Sapal do Coina.

Ainda antes do sol se pôr, já se falavam das borboletas noturnas presentes na Mata, do seu ciclo de vida, com algum destaque para a lagarta da família Geometridae, que pelo seu modo de locomoção parece que "mede o mundo". Depois destes insetos, passou-se ao grupo dos mamíferos, em particular os morcegos, que nesta altura, no lusco-fusco, começam a voar, substituindo as andorinhas que ainda se viam a esta hora, fazendo voos erráticos por cima dos participantes, junto ao parque de merendas.
Aqui conseguiram-se ouvir os pulsos de ecolocalização, através de um detetor de ultrasons, pulsos esses que lhes permitem navegar no espaço, alimentarem-se e ainda comunicar.
Ainda no parque de merendas fizeram-se alguns playback de Coruja-do-mato e de Mocho-galego, na esperança de se ouvir uma resposta.

Houve apenas uma, muito sumida, mas nesta época é normal que assim seja. Em seguida viram-se as tímidas rãs-verdes no poço e prossegui-se para a procura dos escorpiões, com ajuda de uma lanterna com luz negra. A procura deu resultados com um único escorpião juvenil.
Junto ao CEA estava montada uma armadilha luminosa para atrair borboletas noturnas, graças à qual foi possível observar, no fim do passeio, inúmeras destas poisadas, alguns escaravelhos e algumas libelinhas.

Ações como esta permitem conhecer melhor espécies que estão adaptadas aos habitats autoctones, e que poderão diminuir a sua presença ou mesmo desaparecer da Mata, por verem o seu habitat alterado pela presença de espécies invasoras como as acácias e o chorão-da-praia. Exemplo disso são as borboletas noturnas e diurnas, que necessitam de várias espécies de flora particulares, para que as lagartas se alimentem, espécies essas que podem desaparecer como avanço das invasoras.
 

voltar